07/10/2015

Andrea no Caminho de Santiago de Compostela (II)

Andrea Kraemer, amigona e cliente, está no Caminho de Santiago de Compostela, enviou esta foto da Capilla de San Marcos...


01/10/2015

Piada Pronta é o Marketing do Grêmio



Leio que o Santos F.C. convidou CEM refugiados sírios para assistir jogo na Vila Belmiro. Depois de louvar a iniciativa, afinal o velho Santos do Pelé parou uma guerra civil na África, nos anos 60, quando foi jogar lá, pensei um pouco sobre a pobreza das ações do Grêmio em termos do Marketing Estratégico, da magia da sua Marca.

Recentemente, à pedido, tentei aproximar importante Universidade Federal do Grêmio, num singelo projeto social, sem nenhum custo para o clube, e quase morri de vergonha ao perceber que as pessoas que hoje atuam numa área vital do clube, como é o marketing, são absolutamente despreparadas, não sabem o que estão fazendo, são extremamente grosseiras e até mesmo mal educadas. O tratamento dado àquela instituição de ensino foi tão desrespeitoso que me horrorizou de vergonha. Cruzes!

Numa comparação, um clube de futebol é como o espaço público quando tomado de assalto por políticos de má conduta, que enchem as repartições e o serviço público com os famosos CC’s desqualificados: parentes, amigos, amigos de parentes, amantes e toda sorte de vagabundos profissionais à procura de uma boa teta para mamar durante o tempo que conseguir. No Grêmio, assim como em outros clubes e associações desportivas e nos governos em geral, acontece a mesma coisa. Ao chegar no poder e tomar o controle do clube, em nome da “nova gestão”, o patrimônio material e imaterial dos sócios, o objeto da paixão de clientes e consumidores é repartido entre as forças de coalizão que vencem as eleições e “repartem” o clube como se fosse num governo, agraciando seus cabos eleitorais e facções com pedaços de poder dentro do clube. Burocratas que não possuem qualificação, cagam regras e despejam fórmulas. Chutam pessoas, Fazem o que querem, pois não tem rosto. São o clube.

E todo mundo faz festa. O orçamento do clube é inchado e inflacionado, igual como num governo. Toda sorte de “gente de confiança” da Diretoria e as facções políticas é contemplada. O quadro de funcionários incha. Fornecedores que ajudaram na campanha agora fazem negócios com o clube. Malucos que representam “o braço armado” dos grupos políticos recebem verbas para, literalmente, “surrar” os semelhantes de grupos opositores.
 
Tal como em gestões governamentais, uma gama de incompetentes, despreparados e grupos de honestidade duvidosa, assumem áreas importantes de um clube. Num determinado momento, com medidas de impacto e muita propaganda, vem a onda de sucesso, com alguns resultados, números impactantes. Igualzinho à gestão pública, diante de um fracasso, surgem relatórios de dificuldades financeiras e denúncias graves conta a “herança maldita”.  

Como num script já antigo, numa velha fórmula de roteiro de filmes trash, a ladainha se repete, gestão após gestão, e o clube vai passando de mão-em-mão, tal como nas instâncias de governos. Vez por outra explode um escândalo e aí os clientes-torcedores, os acionistas-sócios, os consumidores-fãs, tem a possibilidade de entender como determinados jogadores tão ruins foram contratados por tanto dinheiro, ou como determinada obra faraônica teve seus custos tão elevados. Mas, como na vida real do país, do estado ou do município onde vivem, logo que os escândalos saem dos jornais, a tendência é cair no esquecimento e começa um novo ciclo, que na realidade é a rotina macabra do saque bárbaro ao patrimônio público. O clube é um microcosmo da sociedade em que vivemos. Tem bandidos e tem honestos. Muito mais daqueles e muito menos destes.

Pobre Brasil. Pobre Rio Grande. Pobre Porto Alegre. Pobre Grêmio. É uma pena...

30/09/2015

A Conquista do Fim do Mundo

Três amigos de meia-idade, cada um com sua história de vida, seus conflitos individuais e suas próprias contradições, carregando também a necessidade de superação quanto à dificuldades de capacitação motora e outras situações.

A Conquista do Fim do Mundo:
Guia de Viagem e Documentário da região da Patagônia, com descrição e imagens, voltado ao público em geral e - em particular, para pessoas com mais de 50 anos.

“O guia de viagem e documentário da região da Patagônia, intitulado A Conquista do Fim do Mundo, contém descrição da belíssima região e relato de viagem - com imagens fantásticas."

É  voltado ao público em geral e - em particular, para pessoas com mais de 50 anos e, principalmente, que tenham algum tipo de incapacitação, de qualquer natureza, mas possuam grande vontade de viajar e conhecer lugares.

O livro-guia-documentário relata a expedição à região Patagônica, de três amigos de meia-idade, com algum problema na sua capacidade motora, sem permitir que esta diferença influencie de forma negativa as suas vidas, e viajam juntos - inclusive dirigindo veículos comuns, adaptando-se às condições locais e aproveitando as circunstâncias.

Além de relato, roteiro executado e grande arquivo de imagens, a publicação tem sugestões de roteiros, informações e dicas de viagens.

O livro contém criativo pen drive, numa versão digital e mais de 3500 fotos de alta qualidade e beleza indescritível.”

Faça parte deste time! Visite nossa Campanha:

Contribuições seguras e confiáveis a partir de R$10,00

Crowdfunding = financiamento solidário
HomeA mais completa plataforma de crowdfunding do Brasil

26/08/2015

Parque Nacional Los Glaciares, Argentina

Parque Nacional Los Glaciares



O Parque Nacional Los Glaciares está localizado a sudoeste da província de Santa Cruz, numa área de 730 mil hectares. Criado para preservar uma grande área de gelo continental e dos glaciares, a floresta andino-patagônia austral e amostras da estepe patagônica, é a maior área do Sistema Nacional de Áreas Protegidas Argentinas. Foi criado em 1937, como área de reserva e transformado em parque nacional em 1945.

O que fazer 
Atividades de trekking no gelo, vela, caminhadas, escalada, pesca desportiva, camping e safáris fotográficos, são algumas das opções oferecidas pelo Parque Nacional Los Glaciares, em diferentes pontos: Glaciares Perito Moreno, Upsala e Spegazzini, Lago de Pedra, Cerro Chaltén e Fitz Roy, Glaciar Viedma, Chorrillo del Salto, Campo de Gelo e Lago del Desierto. O Parque Nacional Los Glaciares está localizado na ecorregião da estepe patagônica e as florestas da Patagônia. Seu nome evoca a magnitude das geleiras que constróem a paisagem dos Andes do sul. Estas geleiras oferecem magnífica visão de indescrítivel massa glacial entre montanhas e florestas. Mais famoso, o Glaciar Perito Moreno apresenta, diáriamente, belíssimo espetáculo, emoldurado numa paisagem com a presença de lagos e rios de degelo entre montanhas altíssimas de diversas cores como o Cerro Chaltén ou os Cerros Fitz Roy e Torre. Em 1981, a UNESCO declarou a área Patrimônio da Humanidade, tornando-se o primeiro Parque Nacional para obter esta honrosa distinção. 

Clima e Tempo 
As temperaturas médias variam entre -6 ° C no inverno e 14º C no verão nas zonas mais baixas. Em média, ocorrem 500 a 900 mm de precipitação anual de leste a oeste, distribuídos de forma bastante equilibrada ao longo do ano. Há abundante queda de neve durante os meses mais frios. A época ideal para visitar é primavera, verão e início do outono (setembro a abril). 

Flora e Fauna 
Pastagens de estepes com arbustos espinhosos, coirón, neneo e mata guanaco.. Montanhas coloridas desde a base até o topo com árvores e arbustos que vão da cor cereja ao amarelo. A fauna compreende, principalmente, animais selvagens – huemul, puma e a raposa vermelha, e aves de espécies bem características, como a condor, águia e pica-paus. 

Serviços e Recomendações 
Os serviços de turismo estão concentradas em El Calafate e El Chaltén, com hotéis, pousadas, albergues e aluguel de casas, além de restaurantes, bares, cervejarías,  estações de serviço e agências de viagens receptivas. O Parque Nacional conta com área de camping - no Lago Roca, e uma área livre – Lago de Pedra, contando com área para piquenique - Rio Mitre. Existem áreas de camping livre nas trilhas do norte, em El Chaltén. Em todas as áreas protegidas na Argentina, a entrada com animais de estimação não são permitidos. Recomenda-se observar o estado das trilhas antes de iniciar as atividades, bem como as condições de tráfego e climatológicas. Conversar com os guardas-parque é necessário para indicações precisas e seguras. Atividades de pesca devem contar com a devida licença de permissão. O resíduo produzido deve ser totalmente recolhido e carregado de volta pelo visitante, que é responsável pelo próprio lixo. Fogueiras são permitidas apenas nos acampamentos com madeiras permitidas e indicadas. Os escaladores devem estar registrados no centro de pesquisa dos Parques Nacionais e cobertos por seguro. Mais informações: www.parquesnacionales.gob.ar



El Chaltén 

El Chaltén é a cidade mais jovem da Argentina, fundada em 1985 para manter a soberania do país sobre territórios na disputada fronteira patagônica com o Chile. Está localizada no sul dos Andes, no canto sudoeste da Patagônia Argentina, no sopé do Monte Fitz Roy, ou Chaltén - às margens do Rio de las Vueltas. É uma pequena aldeia turística fundada no Parque Nacional Los Glaciares. 
Esta cidade, com 1600 habitantes, é um dos principais destinos para montanhistas e amantes do trekking de todo o mundo, na temporada de verão. Eleita a capital do trekking da Argentina, atrai os turistas pelas magníficas montanhas, lagos e glaciares. Suas montanhas, desde a década de 1940, atraem praticantes do esporte montanhismo fascinados por suas paredes de rocha e gelo. As montanhas mais procuradas da região são: o Cerro Fitz Roy, ou El Chaltén, que deu o nome à cidade, e o Cerro Torre, considerado por muitos a montanha mais difícil do mundo. 
Em outubro de 2014, El Chaltén ficou em segundo lugar em um ranking de de "melhores cidades do mundo para saber" do guia de viagens Lonely Planet publicação em 2015. O aeroporto de acesso está em El Calafate.
A cidade deve o seu nome à colina próxima. O nome vem de Chaltén Aonikenk ou tehuelche linguagem e significa "montanha de fumo" por causa das nuvens visualizadas constantemente em seu topo, e também ao fato de, da crença dos antigos habitantes, de que tratava-se de um vulcão. A montanha é considerada sagrada para a parte indígena local. Francisco Moreno nomeou-o Fitz Roy em 02/03/1877 em homenagem ao capitão do HMS Beagle, Robert Fitz Roy, que visitou o Rio Santa Cruz em 1834. Embora a cartografia oficial tenha preferido nos últimos anos, renomear Chaltén em detrimento do Fitz Roy, que foi usado por grande parte do século XX, o último nome é o mais usado pelo mapeamento oficial. Mais informações: www.elchalten.com 

El Calafate 

El Calafate é uma cidade localizada na província de Santa Cruz, na Argentina, muito perto da fronteira com o Chile. Possui em torno de 21 mil habitantes e está 270 km distante de Río Gallegos, a capital provincial, e 210 km de El Chaltén. O nome El Calafate vem do arbusto Berberis microphylla, que nasce na região e que produz uma pequena fruta da qual se fazem doces e geleias. Dizem que a pessoa que provar tal fruto, sempre volta à El Calafate.
É a cidade mais próxima do Parque Nacional Los Glaciares, a cerca de 80 quilômetros, onde localiza-se a maior geleira em extensão horizontal do mundo: o Glaciar Perito Moreno, que encontra-se constantemente em evolução com diminuição de sua área devido ao aquecimento global. Também se localiza próximo de outra importante geleira: o Glaciar Upsala.
O turismo está em franco desenvolvimento e constitui a principal fonte de receita da região, oferecendo excelente estrutura hoteleira, aeroporto moderno e opções de turismo. As estradas e acessos são bons e bem sinalizados. El Calafate possui clima frio, com média anual de 7º.C, temperaturas máximas por volta dos 13º.C e mínimas por volta dos -10º.C. Na região, destaque para a fauna com o zorrino-patagônico (como um gambá de faixa branca nas costas), o huemul (cervo), a águia Mora, os patos-das-torrentes, cauquenes, entre outros.
A maior atração é o extraordinário Parque Nacional Los Glaciares que descem por extensões de que chegam a 170 quilômetros. Formados basicamente de neve compactada, possui milhares de nuances do branco ao azul. Na sua maioria, terminam no lago Argentino, onde se fragmentam desde farelo de gelo a grandes icebergs, descendo lentamente o leito do lago até seu derretimento.
Os glaciares movem-se até um metro por dia, atritando-se violentamente com o terreno, moldando-o e lançando, no lago, sedimentos finíssimos, que ficam em suspensão na água. Quanto mais azul, maias antiga é a formação do gelo, chegando à idade de bilhões de anos.
Mais informações: http://elcalafate.tur.ar

11/08/2015

Gre-nal é Gre-nal...

video

Após o Gre-nal, a Rede Globo inovou e preparou nova chamada para notícias extraordinárias... Observem...
 

13/07/2015

Feliz Cumpleaños, Pablo...


Ontem foi aniversário de nascimento do poeta Pablo Neruda, a quem aprendi a gostar por influência da minha mãe. Sempre que tive a oportunidade de colocar meus pés em Santiago, nunca deixei de visitar sua casa La Chascona, onde museu e sede da Fundación Pablo Neruda. Aliás, minha antiga pousada chamava-se La Chascona em homenagem à ele, à sua amada Matilde e à minha amada Gringa. Nas férias da família em2007, levei meus filhos a conhecer Santiago e, claro, La Chascona - ver fotos aí abaixo.

Minha homenagem ao poeta, que me trouxe tanta felicidade nas suas palavras.


Nascido em Parral, a 12/07/1904, com o  nome de Neftalí Ricardo Reyes Basoalto, adotou o pseudônimo de Pablo Neruda, inspirado no escritor checo Jan Neruda. Mudou-se para Temuco em 1906,  onde - adulto, se casou com Trinidad Candia Marverde, que o poeta menciona em diversos textos, como "Confesso que vivi" e "Memorial de Ilha Negra", com o nome de Mamadre. Estudou no Liceu de Homens dessa cidade e ali publicou seus primeiros poemas no periódico regional A Manhã. 


Em 1921 radicou-se em Santiago onde recebeu o primeiro prêmio da festa da primavera com o poema "A Canção de Festa", publicado posteriormente na revista Juventude. Em 1923 publica Crespusculário. No ano seguinte aparece pela Editorial Nascimento seus Vinte poemas de amor e uma canção desesperada, no que ainda se nota uma influência do modernismo. Posteriormente se manifesta um propósito de renovação formal de intenção vanguardista em três breves livros publicados em 1936: O habitante e sua esperança, Anéis (colaboração com Tomás Lagos) e Tentativa do homem infinito. Em 1927 inicia carreira diplomática, nomeado cônsul em Rangum, na Birmânia. Em suas múltiplas viagens conhece em Buenos Aires Federico Garcia Lorca e, em Barcelona, Rafael Alberti. 

Em 1936,tem inicio a Guerra Civil espanhola, Neruda é destituído do cargo consular, por ter fornecido vistos à fugitivos do fascismo, e escreve Espanha no Coração. 
Em 1945, de volta ao Chile, é eleito senador. No mesmo ano - em visita ao Brasil, lê - para mais de 100 mil pessoas no Estádio do Pacaembu, homenagem ao líder comunista Luís Carlos Prestes. Em 1950 publica Canto Geral, em que sua poesia adota intenção social, ética e política. Em 1952 publica Os Versos do Capitão e em 1954 As Uvas e o Vento e Odes Elementares. 

Em 1953 constrói sua casa em Santiago, apelidada de "La Chascona", para se encontrar clandestinamente com sua amada Matilde (chamada por ele, carinhosamente de "La Chascona". por seus cabelos descabelados), a quem havia dedicado Os Versos do Capitão. A casa foi uma de suas três casas no Chile, as outras estão em Isla Negra e Valparaíso ("La Sebastiana"). "La Chascona" é um museu com objetos de Neruda e pode ser visitada, em Santiago. No mesmo ano, recebeu o Prêmio Lênin da Paz.

Em 1958 apareceu Estravagario com uma nova mudança em sua poesia. Em 1965 lhe foi outorgado o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade de Oxford, Grã-Bretanha. Em outubro de 1971 recebeu o Nobel de Literatura. Após o prêmio, Neruda é convidado por Salvador Allende para ler para mais de 70 mil pessoas no Estadio Nacional de Chile.

Morreu em Santiago em 23 de setembro de 1973, de complicações vasculares, após internação para tratar de cirurgia no abdome, onde um câncer. Depois do golpe militar de 11 de setembro sua saúde havia se agravado e no dia 19 é transferido com urgência de sua casa na Isla Negra para Santiago, onde veio a morrer no dia 23 às 22 horas e 30 minutos na Clínica Santa Maria. A casa de Neruda em Santiago foi saqueada depois do golpe encabeçado pelo general Augusto Pinochet e seus livros, incendiados. O funeral do poeta foi realizado no Cementerio General. Embora proibido qualquer tipo de manifestação pública pela morte do poeta, por ordem dos militares golpistas, um cotejo de cerca de 300 mil pessoas seguiu o trajeto do corpo ao cemitério.

Encontra-se sepultado em sua propriedade em Isla Negra, Santiago, no Chile. Postumamente foram publicadas suas memórias em 1974, com o título Confesso que vivi .

Publicado simultaneamente com o Facebook do Anflor.

26/05/2015

Chile Chico, Chile


Chile Chico é uma comuna chilena, localizada na Província de General Carrera, Região de Aiasén. Limita-se ao norte como rio Ibáñes e a oeste com Aisén. A leste está a Argentina e ao sul, Cochrane, no Chile.


A localidade de Chile Chico é a capital da comuna homônima e da Província de General Carrera e tem uns 3 mil habitantes, distribuída em 5.700 quilômetros quadrados de área. Localiza-se às margens do grande lago General Carrera junto à fronteira com a Argentina, próximo à localidade argentina de Los Antíguos.  A comuna de Chile Chico foi criada em 1959 com o nome de Lago Buenos Aires, porque este era o antigo nome do lago General Carrera. Posteriormente foi trocado o nome da parte chilena do lago para General Carrera e o nome da comuna passou a chamar-se Chile Chico. É uma zona montanhosa e a maioria da população habita a área rural, vivendo da pecuária, agricultura, mineração e turismo. O lago Bertrand encontra-se a oeste da comuna, em suas margens situa-se Puerto Bertrand. Entre Puerto Bertrand e Chile Chico, localizam-se os povoados de Guadal, Mallín Grande e Fachinal. O site oficial é www.chilechico.com e o gentílico é chilechiquense.


O que chamou minha atenção nesta cidade foi, como em todo o Chile, a limpeza, a ordem e a segurança. Parques, praças, jardins... tudo limpinho, grama aparada. Tudo funcionando direitinho, ninguém estaciona errado ou em lugar proibido. Pode-se deixar o carro aberto que ninguém mexe. Se mexer, é estrangeiro. Cidadania é algo que a gente percebe. As pessoas tem convicção de que o exercício da cidadania é algo de direito à todos. São hospitaleiros e precisos. Acessibilidade é algo óbvio. Para meu desespero e inveja transparente, tem uma larga e linda rambla à beira do Lago de águas limpíssimas e transparentes, crianças brincando e tomando banho. Ao fundo, uma cadeia de montanhas com picos nevados forma interessante e bonita moldura para este cenário.Tem ciclovia, pedestres respeitados, bicicletário e nenhum mendigo ou crianças em semáforos. Não vi nada disso no Chile. Aliás, nunca vi nada disto no Chile em anos de frequência.

Sem dúvida, o maior atrativo da região são as Capillas del Mármol, cavernas esculpidas pela ação da erosão fluvial do Lago General Carrera, em uma localidade chamada Puerto Tranquilo. Esta maravilha foi declarada Santuario de la Naturaleza em 1994 e é acessada exclusivamente por barco. Antes, numa visita que inclui caminhada por uma trilha bem sinalizada, com grau de dificuldade moderada, pode-se conhecer a confluência dos rios Neff e Baker. O rio Baker é o mais caudaloso do Chile.Todo o percurso entre Chile Chico e Puerto Tranquilo é em estrada de rípio, num percurso de 150km. Todavia, é bem firme, sem sobressaltos e muitíssimo bem sinalizada, contando com áreas de descanso e belíssimos miradores que possibilitam excelentes fotos. 

Los Tres Amigos e A Conquista do Fim do Mundo:
Mais fotos em: http://migre.me/pHRqw
Tem uma porrada de imagens lá e todo o dia aumenta.