01/10/2015

Piada Pronta é o Marketing do Grêmio



Leio que o Santos F.C. convidou CEM refugiados sírios para assistir jogo na Vila Belmiro. Depois de louvar a iniciativa, afinal o velho Santos do Pelé parou uma guerra civil na África, nos anos 60, quando foi jogar lá, pensei um pouco sobre a pobreza das ações do Grêmio em termos do Marketing Estratégico, da magia da sua Marca.

Recentemente, à pedido, tentei aproximar importante Universidade Federal do Grêmio, num singelo projeto social, sem nenhum custo para o clube, e quase morri de vergonha ao perceber que as pessoas que hoje atuam numa área vital do clube, como é o marketing, são absolutamente despreparadas, não sabem o que estão fazendo, são extremamente grosseiras e até mesmo mal educadas. O tratamento dado àquela instituição de ensino foi tão desrespeitoso que me horrorizou de vergonha. Cruzes!

Numa comparação, um clube de futebol é como o espaço público quando tomado de assalto por políticos de má conduta, que enchem as repartições e o serviço público com os famosos CC’s desqualificados: parentes, amigos, amigos de parentes, amantes e toda sorte de vagabundos profissionais à procura de uma boa teta para mamar durante o tempo que conseguir. No Grêmio, assim como em outros clubes e associações desportivas e nos governos em geral, acontece a mesma coisa. Ao chegar no poder e tomar o controle do clube, em nome da “nova gestão”, o patrimônio material e imaterial dos sócios, o objeto da paixão de clientes e consumidores é repartido entre as forças de coalizão que vencem as eleições e “repartem” o clube como se fosse num governo, agraciando seus cabos eleitorais e facções com pedaços de poder dentro do clube. Burocratas que não possuem qualificação, cagam regras e despejam fórmulas. Chutam pessoas, Fazem o que querem, pois não tem rosto. São o clube.

E todo mundo faz festa. O orçamento do clube é inchado e inflacionado, igual como num governo. Toda sorte de “gente de confiança” da Diretoria e as facções políticas é contemplada. O quadro de funcionários incha. Fornecedores que ajudaram na campanha agora fazem negócios com o clube. Malucos que representam “o braço armado” dos grupos políticos recebem verbas para, literalmente, “surrar” os semelhantes de grupos opositores.
 
Tal como em gestões governamentais, uma gama de incompetentes, despreparados e grupos de honestidade duvidosa, assumem áreas importantes de um clube. Num determinado momento, com medidas de impacto e muita propaganda, vem a onda de sucesso, com alguns resultados, números impactantes. Igualzinho à gestão pública, diante de um fracasso, surgem relatórios de dificuldades financeiras e denúncias graves conta a “herança maldita”.  

Como num script já antigo, numa velha fórmula de roteiro de filmes trash, a ladainha se repete, gestão após gestão, e o clube vai passando de mão-em-mão, tal como nas instâncias de governos. Vez por outra explode um escândalo e aí os clientes-torcedores, os acionistas-sócios, os consumidores-fãs, tem a possibilidade de entender como determinados jogadores tão ruins foram contratados por tanto dinheiro, ou como determinada obra faraônica teve seus custos tão elevados. Mas, como na vida real do país, do estado ou do município onde vivem, logo que os escândalos saem dos jornais, a tendência é cair no esquecimento e começa um novo ciclo, que na realidade é a rotina macabra do saque bárbaro ao patrimônio público. O clube é um microcosmo da sociedade em que vivemos. Tem bandidos e tem honestos. Muito mais daqueles e muito menos destes.

Pobre Brasil. Pobre Rio Grande. Pobre Porto Alegre. Pobre Grêmio. É uma pena...

30/09/2015

A Conquista do Fim do Mundo

Três amigos de meia-idade, cada um com sua história de vida, seus conflitos individuais e suas próprias contradições, carregando também a necessidade de superação quanto à dificuldades de capacitação motora e outras situações.

A Conquista do Fim do Mundo:
Guia de Viagem e Documentário da região da Patagônia, com descrição e imagens, voltado ao público em geral e - em particular, para pessoas com mais de 50 anos.

“O guia de viagem e documentário da região da Patagônia, intitulado A Conquista do Fim do Mundo, contém descrição da belíssima região e relato de viagem - com imagens fantásticas."

É  voltado ao público em geral e - em particular, para pessoas com mais de 50 anos e, principalmente, que tenham algum tipo de incapacitação, de qualquer natureza, mas possuam grande vontade de viajar e conhecer lugares.

O livro-guia-documentário relata a expedição à região Patagônica, de três amigos de meia-idade, com algum problema na sua capacidade motora, sem permitir que esta diferença influencie de forma negativa as suas vidas, e viajam juntos - inclusive dirigindo veículos comuns, adaptando-se às condições locais e aproveitando as circunstâncias.

Além de relato, roteiro executado e grande arquivo de imagens, a publicação tem sugestões de roteiros, informações e dicas de viagens.

O livro contém criativo pen drive, numa versão digital e mais de 3500 fotos de alta qualidade e beleza indescritível.”

Faça parte deste time! Visite nossa Campanha:

Contribuições seguras e confiáveis a partir de R$10,00

Crowdfunding = financiamento solidário
HomeA mais completa plataforma de crowdfunding do Brasil